Projeto PreparaNem habilita LGBTIs a avançar na vida escolar.

Novos alunos obtêm oportunidade de retomar os estudos e concluir o Ensino Médio ou passar no Enem

Por Maria Eduarda Campos – 11/08/2019

Fotos: Maria Eduarda Campos e Gael Jardim

Em 07 de maio de 2019, a aula inaugural do PreparaNem 2019 – projeto itinerante iniciado em 2015 para preparar pessoas transgêneras em situação de vulnerabilidade para a prova do Enem, permitindo-lhes ingressar em Universidades – foi cercada de muita alegria, leveza e discursos motivacionais intensos de quem já acompanha os bons resultados das aulas há algum tempo. O aulão, que ocorreu no campus da faculdade carioca Unirio, no bairro da Urca, marcou o início da 5ª edição do circuito de aulas, que engloba Redação, História, História da Arte, Interpretação de Texto, Inglês, Espanhol, Química, Biologia, Literatura, Filosofia, entre outras, sempre ministradas por professores LGBTIs voluntários e, atualmente, são inscritas pessoas LGBTIs, em geral, que chegam a alcançar também a oportunidade de não continuar mais trabalhando exclusivamente na prostituição, podendo, até mesmo, chegar a se reinserir no mercado formal de trabalho.

O aulão do dia sete contou com a participação e o discurso emocionado e fervoroso de Luciana Vasconcellos, que fez questão de pontuar que, mesmo com todas as adversidades que sempre enfrentou, em função de sua negritude e travestilidade, os projetos da ONG TransRevolução, como a CasaNem e o PreparaNem, lhe permitiram obter uma oportunidade profissional junto à Prefeitura do município do Rio de Janeiro, e hoje ela se orgulha em contar que trabalha construindo o Trans+Respeito, projeto que funciona através da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS-Rio) e que aproxima pessoas trans de empresas inclusivas para dá-las a oportunidade de reingressar no mercado formal de trabalho, e também de receber aulas de cursos profissionalizantes. As estudantes universitárias Letícia Suhet e Tertuliana Lustosa também fizeram suas falas à nova turma, deixando nítido o quanto o PreparaNem se tornou um divisor de águas em suas vidas. A piauiense Tertuliana se comoveu ao lembrar de todo o aprendizado que a levou a conseguir ingressar na UERJ – uma Universidade Pública de peso e grande significado nacionalmente – e as lutas que enfrentou até conseguir se estabelecer no Rio de Janeiro e poder construir uma vida universitária.

A analista de suporte de TI Simone Cano é transgênera, formada em Direito, e optou por ser mais uma entre os professores voluntários, ministrando aulas aos alunos do PreparaNem já pelo segundo ano: “Vem sendo importante pra mim porque é uma aprendizagem mútua; ao ensiná-los Interpretação de Textos em Inglês, eu aprendo com as alunes enquanto elxs se preparam para os processos seletivos, como o Enem, o Encceja e os Vestibulares”. Simone também já ensinou História pelo projeto, e observa que seus alunos se mostram interessadíssimos, com fome de conhecimento, mas a situação de vulnerabilidade que enfrentam, em virtude de terem sidos expulsos de casa, não lhes dá a oportunidade de estudar; ao receberem estadia, alimentação, compreensão e afeto na CasaNem, conseguem restituir suas vidas. “Eu entendo as dificuldades delas em estar ali, e eventuais situações desestimuladoras, por isso, mesmo quando se afastam dos estudos, sempre mantemos contato, a amizade permanece, e é isso, somos uma família, faço parte da tribo delxs”, desabafa.

O aluno Lucas Ferreira, de 21 anos, está se preparando para a prova do Enem, e também vê o projeto com positividade; sente que as aulas do PreparaNem lhe trouxeram novas perspectivas: “Temos hoje uma turma de uns dez alunos, e, aproximadamente, metade deles têm conseguido estar sempre presente e concentrada nas atividades; a maior parte vem das ruas e de uma total distância da sala de aula, e os nossos mestres têm esse reconhecimento, portanto há uma nova forma de dar aula que nos permite readequarmo-nos a voltar a receber ensinamentos, afinal, nossas mentes já chegam inquietas em razão de toda a opressão e exclusão que sofremos da sociedade e que já começa ao sermos expulsos de casa. O PreparaNem é muito seguro conosco por dar atenção absoluta a esse aspecto”.

O aluno do PreparaNem 2019 Lucas Ferreira (dir.) animado com o início das aulas, campus da Unirio

O caráter itinerante se tornou um diferencial, e os alunos do projeto se surpreendem muito ao receber a oportunidade de ter aulas em espaços privilegiados e que veem que jamais lhes pertenceriam em outras situações: atualmente, ocupam as salas das turmas de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o Sindipetro e a sede do Partido da Mulher Brasileira (PMB), onde têm acesso a computadores com Internet, projetores e material didático; eles também recebem ajuda de custo para o lanche e o transporte público até os locais das aulas. “Só de termos a vontade de estar em sala de aula, de terminar o Ensino Médio ou de entrar numa Universidade pela prova do Enem, isso já é uma tremenda evolução para nós, mas também nos animamos ao enxergarmos as evoluções pessoais que vamos obtendo”, conclui Lucas.

O aprendizado das disciplinas da grade do PreparaNem ocorre todos os dias, de segunda a sexta-feira, das 17h às 22h, e são três a quatro aulas por dia, com os professores que ensinam as mesmas matérias se alternando nos horários do calendário.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.